Lágrimas Vertidas Pela Natureza, Que Acabou De Sorrir...

O Sol Que Te Beijou, Te Acariciou, Sem Piedade, Te Magoa, Te Faz Cair...

Hoje Rolas Pelo Chão, Como Papel Em Fim De Festa... Envelhecestes Por Este Mesmo Sol, Que Um Dia Te Deu Vida.

Folhas De Outono; Hoje Sois Festa De Despedida, Que O Vento Lança, Antes Do Festival De Inverno.

Não Somente O Teu Sol Te Fez Sofrer!... A Copa Da Tua Árvore, Não Conseguiu Te Proteger, E A Pouco Seiva Que Te Nutriu, Te Fez Cedo Cair...

Existe Um Pequeno Tempo Entre O Outono E O Inverno!... Quando Uma Leve E Suave Brisa, Ainda Chega, Para Refrescar Tua Face Castigada...

Certos Amores, São Como Folhas; Entregam-se Aos Fortes Raios Do Sol, Sem Amor, --- A Essência À Lhes Nutrir...


                                                                                            UM SIMPLES POETA Psicografia: M A J Ú

 

Grafico: Regina Celia