Fantasia-III

Ol minha adorada Feiticeira.
Gratas novas hoje, te vou a contar.
Acabo de atracar al mesmo , nesse lugar, no 
que a graciosa Vnus fez seu ninho e
nele achei pousada donde comer e beber
o que quiser, e se fartar. Que gostosa comida ,
que molhos e que aroma to grato ao paladar.
Um dia destes ei- de te convidar. D por certo que 
ha de comer do meu prato e que nunca mais doutro 
vs a gostar. Para mim e para os meus
invitados tudo de graa e nada h que pagar,
e pelo carinho gostoso mas o amor que te do e 
o sextras que no acto te servem,se de entojo ests,
ou por provar, ainda se desfazem em cumplidos
e com caricias pagam, por o feito de mandar.
Assim minha graciosa mensageira dos Cus,este 
precioso lugar a donde vim dar,tal que
ainda hoje cansado estou de tanto singrar,
at o triste ponto de que j home no hnem farrapo 
de gaita tm pra tocar. Tal vez se a mm vieres,nas 
alas do vento, arroupada do teu esplendor e donosura
sem par,podia-se dar o milagre de qu como um novo 
Lzaro viera eu levantar. Mas tu no vens,no apareces 
por nenhum lugar e este velho timonel sozinho,para tia 
proa da nave quer,mas no pode enfiar. Agora j, todas 
so nevoas e nuvens negras que me esto a cercar! Vem a 
mim. Oh linda Fada misteriosa! Vem, o meu Cu clarear, que 
este servidor a gosto teu, no meu, te ha de despachar e 
quem sabe se no querers recuncar!!



CHANKECHAM
De viagem pelo mundo dos sonhos
Santiago de Compostela
4/11/2001
 

Celi Poesias